sábado, 15 de novembro de 2014

As Crônicas de Gelo e Fogo: O Festim dos Corvos - Livro 4

George R.R.Martin
Leya - 643 páginas

"Passou-se muito tempo desde a última vez que chorei." (Meistre Aemon, 102 anos - página 194)

Assim como no volume anterior (A Tormenta de Espadas), esse livro também tem muitas batalhas, perdas, traições e lágrimas.

Agora, o foco é Porto Real e o controle de Cersei Lannister sobre o rei Tommen, a pequena rainha Margaery, a Guarda Real e o Conselho.

Os capítulos que contam as ações e os pensamentos de Cersei, aliás, são os melhores!

"Meus inimigos estão por toda parte, e meus amigos são incapazes..." (Cersei Lannister, pág.407)

Além de Porto Real, também merecem destaque os conflitos nas ilhas de Ferro (além Mar), Bravos e Correrio.

Com a morte repentina de Balon Greyjoy, seus irmãos e sua filha lutam pelo poder: quem irá governar as Ilhas de Ferro? Olho de Corvo, Victarion, Aeron Cabelo-Molhado ou a impetuosa Asha?

Sam Tarly parte com Goiva, o bebê e Aemon rumo à terra de seus pais, já que a criança e o meistre correm risco de vida na Muralha, por causa da presença de Stannis e Melissandre.

"Só porque um homem sabe cantar sobre batalhas não significa que esteja pronto para travá-las." (Sam Tarly, pág. 332)

Arya Stark assume várias identidades para sobreviver e vai parar em Bravos. Sua irmã Sansa também precisa assumir uma nova identidade (Alayne) para sobreviver no castelo do Ninho da Águia, como filha bastarda de Mindinho.
Briene de Tarth, por sua vez, continua sua busca incansável pelas garotas Stark até que sofre um grande golpe.

"Todos sonhamos com coisas que não podemos ter." (pág. 574)

A princesa Myrcella  Lannister está em Dorne, sob a proteção dos Martell e sob os cuidados de Arys Oakheart da Guarda Real e, numa tentativa de golpe de Arianne, tem sua vida posta em risco.
Por fim, Jaime Lannister parte para conquistar Correrio do velho Tully (Bryden Peixe Negro), que resiste bravamente apesar dos Frey terem seu filho como refém.

"[Jaime] sabia o que era perder uma parte de si, a parte que nos torna quem somos." (pág. 108)

Tyrion, Dany, Davos, Theon Greyjoy não aparecem nesse livro e Stannis e Jon Snow aparecem só no começo. Suas histórias serão contadas no volume seguinte.

Leitura imperdível para quem acompanha a saga da luta pelo Trono de Ferro!

domingo, 2 de novembro de 2014

O último voo do flamingo

Mia Couto
Companhia das Letras - 225 páginas 

"Não vê os rios que nunca enchem o mar? A vida de cada um também é assim: está sempre toda por viver." (Página 49)

Viajando para Bertioga, me deparei com esse exemplar do Mia Couto na biblioteca do SESC. Não pensei duas vezes em pegar pra ler, já que estava de férias e tinha todo o tempo do mundo para pôr a leitura em dia.

"...a terra é um ser: carece de família, desse tear de entrexistencias a que chamamos ternura." (Pág 110)

Em resumo, eis a trama: a pequena cidade de Tizangara (Moçambique) está  com um grande problema. Vários soldados das Nações Unidas começaram a explodir e não se sabe o motivo.

O delegado da ONU, o italiano Massimo Risi, vai até a cidade para investigar esse mistério e conta com a ajuda de um jovem para ser o tradutor.
Ali ele conhecerá um pouco da cultura local, as histórias da terra e da sua gente.
Gente como o administrador Estevão Jonas e sua esposa Ermelinda, o adjunto Chupanga, a prostituta Ana Deusqueira, a jovem-velha Temporina, o padre Muhando, o velho Sulplicio e o feiticeiro Zeca Andorinho. Cada um tem o seu mistério, a sua história de vida - seja real ou fruto de sonho, seja passível de ser verdadeira ou fantasiosa. Com Mia é assim: a fantasia se sobrepõe à narrativa e o resultado sempre surpreende.

"Do que me lembro jamais eu falo. Só me dá saudade o que nunca recordo. Do que vale ter memória se o que mais vivi é o que nunca se passou." [Sulplicio - pag. 209]

Vale a pena a leitura!


terça-feira, 21 de outubro de 2014

E foi assim...

Fernanda Brum
Ministério Fernanda Brum - 269 páginas

"De joelhos se entrega ao Senhor as dores e angústias; de joelhos se vive milagres." (página 243) 

Nesse livro, você vai conhecer a história de vida da pastora e cantora gospel Fernanda Brum: o nascimento em um lar cristão, a adolescência rebelde, o talento musical, a conversão, o batismo com o Espírito Santo, o nascimento da banda, os milagres.

É uma história que nos inspira, nos faz chorar e refletir. Mas, acima, de tudo, é uma história que nos encoraja a permanecer firmes na Rocha, que é Cristo, em todo momento, seja na dor, seja na alegria e abundância.

Leia e seja abençoado!

terça-feira, 14 de outubro de 2014

As Crônicas de Gelo e Fogo: A Tormenta de Espadas - Livro 3

George R.R. Martin
Leya - 884 páginas

"Já aprendi que o amor nem sempre é sensato. Pode nos levar a grandes loucuras, mas seguimos nosso coração...até onde quer que nos leve. Não seguimos, mãe?"
[Robb Stark - página 149] 

Nesse livro, Robb segue seu coração e não tem ideia da dimensão que isso iria tomar para o reino.
Jaime Lannister enfrenta sua maior prova e na companhia de Brienne de Tarth precisa tomar decisões difíceis.
Para preservar suas vidas, Bran foge de Winterfell e Sansa se mantém obediente aos Lannister, casando com quem eles escolheram para ser seu marido.
Joffrey finalmente marca seu casamento com a bela Margarery Tyrell e o grande dia chega com muitas surpresas.

Esse livro tem ainda dois grandes episódios marcantes: o casamento vermelho no palácio dos Frey e a luta da Víbora vermelha com a Montanha. Quem já viu a série sabe do que estou falando...
Por fim, dois nomes se destacam: John Snow (e a descoberta do amor) e Tyron Lannister (e seu raciocínio lógico para resolver conflitos). Ambos serão duramente desafiados e mostrarão sua grandeza como líder e como ser humano.

Um reino não se ganha só com planos e estratégias. 

"Nem mesmo um rei pode pensar em tudo." (Catelyn - pág. 367)

A sorte, o destino e os deuses muitas vezes conspiram contra ou favor...

Leitura obrigatória para quem acompanha a série!

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Diálogos Impossíveis

Luis Fernando Veríssimo
Objetiva - 176 páginas

"A posteridade não é mais um lugar seguro." 
(em Revelações - página 23)

Veríssimo transborda humor, alegria, ironia e vivacidade nos 44 textos desse livro.

Ele imagina diálogos entre as estátuas de Drummond, Pessoa e Mario de Andrade, assim como imagina um diálogo de exortação de um padre ao casal que está no altar se casando. São conversas "impossíveis", que evidenciam um lado da vida que procuramos ocultar: nossos erros e vergonhas.

E aí ele fala dos amigos e suas esquisitices (em " O tapa-olho", "O triunfo", "O natural"), dos casais ("A sopa", "Teatrinho", "A ponta do queixo", "Antigas namoradas"), do acaso ("Geoffrey"), da família ("Dia das mães") e das coisas estranhas da vida, como a de 2 desconhecidos que ajudam uma mãe dar à luz em um posto de gasolina.

São leituras agradáveis, que dão cor e beleza ao seu dia.

Vale a pena a leitura!

domingo, 7 de setembro de 2014

As Crônicas de Gelo e Fogo: A Fúria dos Reis - Livro 2

George R.R. Martin
Leya - 656 páginas

"As coroas fazem coisas estranhas às cabeças que estão por baixo delas."
(Tyron Lannister - página 42)

Os reinos estão em guerra e cada um busca aliados para lutar pelo seu rei. Sim, além de Joffrey, Robb se declara rei, e Stannis e Renly, irmãos de Robert, reclamam o trono para si.

Joffrey reina de forma dura e cruel, tendo seu tio Tyron Lannister como Mão do Rei. O anão tenta trazer seus amigos mercenários por perto e é o cabeça de toda a estratégia de guerra contra Stannis que, por outro lado, conta com a ajuda sobrenatural de Melisadre, a  mulher vermelha, que serve o deus da Luz.

Bran se torna o príncipe de Winterfell, enquanto Robb parte para a guerra e ganha várias batalhas, para espanto de muitos, inclusive de sua mãe Catalyn, que tenta recuperar suas filhas, Sansa e Arya, em troca de James Lannister, o Regicida.

Arya foge de Porto Real com Yoren e uma leva de homens e rapazes, rumo ao Norte, fingindo ser um menino (Arry). Faz novos amigos, entre eles Gendry, filho bastardo do rei morto.

Theon Greyjoy, depois de viver dez anos com os Stark parte para sua terra sob a bênção de Robb e fica surpreso com a recepção de seu pai, Balon Greyjoy, e de sua irmã Asha.

Daenerys tenta se reerguer, com os poucos homens que ficaram ao seu lado após a morte de Khal Drogo, e com os 3 dragões.

Jon deixa de ser apenas o ajudante do Velho Urso, Comandante Mormont, e recebe sua primeira grande tarefa na Muralha.

Brigas, traições, mentiras, lutas, mortes, magia, fantasia, atos de vingança permeiam esse 2º volume e, como o 1º (A Guerra dos Tronos), te prende do começo ao fim.

"... as pessoas dizem frequentemente ter fome de verdade, mas raramente gostam do sabor quando ela lhes é servida." (James Lannister, citando Tyron - pág. 510)

Boa leitura!

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Guia Politicamente Incorreto do Futebol

Jones Rossi e Leonardo Mendes Júnior
Leya - 415 páginas

"Charles Miller registrou como seu um jogo que já existia no Brasil. Algo de que ele mesmo desconfiava." (página 22) 

Depois de ler o Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil, fiquei com gostinho de quero mais. Lá, já havia certas provocações sobre a origem do futebol, mas agora a coisa ficou séria e, aproveitando a época da Copa, ganhamos uma versão dedicada a este esporte, que é paixão nacional.

E pra quem acha que Charles Miller é o pai do futebol no país, já vai um balde um água fria: na verdade, o escocês Thomas Donohoe começou antes, com bate-bola na prática, sem se preocupar em registrar nada.

Mas como era o futebol, no fim do século XIX e começo do XX? Tínhamos times de brancos x negros (eita!). A mistura foi ocorrendo aos poucos.

Nosso 1º craque, Arthur Friedenreich, era boêmio e amava seresta, pôquer e cabarés. Ele fez 568 gols em 580 jogos, uma média de 0,98 gol/jogo. Isso em 1925. Se fosse hoje, com certeza, ele seria um baladeiro de plantão (aliás, acho que isso não mudou muito na conduta dos nossos craques, né?)

E Pelé, qual foi a média de gols dele?
"Com 1282 gols em 1367 partidas, o Rei encerrou a carreira com média de 0,94 bola na rede por jogo." (pág. 62)
Claro que há controvérsias na forma de contar os gols e o livro também aborda isso e fala da média de gols de outros jogadores.

O livro ainda dedica capítulos a cada Copa, aos mitos, às organizadas, aos craques (Pelé, Maradona, Messi) e sentencia: "Não existe na história do futebol melhor time que a seleção brasileira campeã da Copa do Mundo de 70" (pág. 80).

Será?

Uma coisa é fato: depois dessa Copa, algumas coisas terão de ser revistas no livro para uma nova edição, a começar pela contagem de maior vexame do Brasil em jogos da Copa. Até então, o pior placar fora um 3x0...

Boa leitura!