sexta-feira, 15 de abril de 2022

Torto arado


Itamar Vieira Júnior
Ed Todavia - 264 páginas

"Atravessei o tempo como se caminhasse sobre as águas de um rio bravo. A luta era desigual e o preço foi carregar a derrota dos sonhos, muitas vezes." (página 212)

Bibiana e Belonísia são duas irmãs que, a partir de um trágico acidente, se tornam mais próximas, "quase siamesas".

Descendentes de escravos, filhas de trabalhadores rurais numa grande fazenda do sertão baiano, elas crescem juntas, dividindo as alegrias e dores da infância e adolescência.

Filhas de Zeca Chapéu Grande, o curandeiro que incorpora entidades e faz encantamentos, e dona Salustiana, as meninas aprenderam o que a ganância dos ricos faz quando os pobres "incomodam". E esse "incomodar" significa apenas que acordaram para exigir seus direitos.

A trama se desenrola numa prosa gostosa de se ler. O autor nos leva pela mão para caminhar em chãos áridos de Água Negra, a sofrer com a dureza da vida daquele povo e a torcer por um futuro melhor.

Enfim, estamos diante de uma obra de arte que deve ser degustada, apesar de momentos amargos e dolorosos, e aplaudida por sua beleza.

Boa leitura!


quarta-feira, 13 de abril de 2022

Tudo é rio

 

Carla Madeira
Ed Record - 210 páginas


"... e o amor? O que é senão um monte de gostar? Gostar de falar, gostar de tocar, gostar de cheirar, gostar de ouvir, gostar de olhar. Gostar de se abandonar no outro. O amor não passa de um gostar de muitos verbos ao mesmo tempo."
(página 19)

Essa é a história de amor - e desamor - de Dalva e Venâncio. E também de Lucy, a famosa prostituta da região.

A vida podia ser simples e seguir o rumo do rio, mas as adversidades existem - ou porque procuramos ou porque aparecem espontaneamente - e trazem suas lutas e consequências.

Dalva foi criada cercada de muito amor, alegria e cantoria. No seu casamento o vestido trazia bordado os nomes do todos que eram importantes para ela, aliás, cada um teceu ali o seu afeto e carinho. Já Venâncio, teve uma infância difícil com o pai, aprendeu a arte da marcenaria e teve que lidar com seu ciúme excessivo na base da dor e sofrimento.

Lucy, por sua vez, ficou órfã cedo e foi morar com os tios, onde se viu preterida no amor da tia, encontrando na sedução dos homens a sua alegria e desafio de vida.

Um dia, o destino uniu esse trio e a autora conseguiu transformar em poesia cada detalhe da trama, mesmo quando a vida se mostrou dura e cruel.

Nem tudo são flores e, pessoalmente, fiquei muito chocada numa parte decisiva da história (aliás, mudaria facinho esse trecho, sem prejudicar o rumo da coisa), mas apesar de tudo, ela soube conduzir e superar as tragédias com maestria e sensibilidade.

"Os lábios dele tocaram de leve nos lábios dela, como o pouso de mil borboletas brancas. Tomaram uma distância miúda, quase invisível, e se encostaram de novo, um vai e vem sereno embalou os dois aumentando aos poucos a vontade de demorar ali (...) É para coisas assim que nascemos. Quem para o tempo nesse sentir sai diferente. Muda. Conhece a força de existir." (pág 87)

A leitura flui fácil e, quando você vê, leu mais da metade de uma vez só.

Boa leitura!


terça-feira, 1 de março de 2022

O Segredo do Contentamento


William B. Barckley
Nutra Publicações - 184 páginas

"Deus é mais glorificado em nós quando estamos mais satisfeitos nEle" (Pipper, citado - pág 17)

Ganhei esse livro de uma grande amiga no último Natal e posso dizer que devorei, uma vez que o autor escreve de uma forma fluída, cheia de exemplos pessoais, citações (maravilhosas!) e muitos versículos.

Vivemos na era da busca pelo prazer e pela felicidade, mas mesmo quando a alcançamos, segundo os "padrões" do mundo, logo queremos mais e mais...

"Somos tentados a achar que seríamos felizes com só mais um pouco... Os seres humanos sempre parecem querer ter o que não podem." (pág 23)

E isso, se considerarmos que está tudo relativamente bem na vida da pessoa, porque se alguma coisinha não vai bem pronto, já é motivo para andar 30 casas para trás no jogo da vida.

"A busca por uma felicidade fundada nas circunstâncias da vida gera inquietação e descontentamento em nossa alma." (pág. 24)

Paulo, na carta aos Filipenses, fala que aprendeu a estar contente em qualquer situação. Apesar de ter sido preso, passar fome, ter um espinho na carne, ele conseguiu aprender a arte do contentamento, a ser grato e depender exclusivamente de Deus, seja na fartura ou na privação.

"O coração contente reconhece e tem prazer no poder soberano e na bondade providencial de Deus." (pág 25) "É fruto de estar satisfeito com Deus" (pág 28). 

"Contentamento cristão é aquele estado doce, interior, sereno e gracioso de espirito, que livremente se submete e se delicia na disposição sábia e paternal de Deus em toda e qualquer situação." (Jeremiah Borroughs citado - pág 38)

A Bíblia tem vários versículos que abordam o tema contentamento x descontentamento:

Contentai-vos com as coisas que tendes (Hebreus 13:5)
Grande fonte de lucro é a piedade com contentamento (I Timóteo 6:6)
Fazei tudo sem murmurações nem contendas (Fip 2:14)

"A busca por contentamento é, por essência, a busca da paz." (pág 52)
Sim, aquela paz que excede todo o entendimento humano e que já provei em momentos bem difíceis da minha vida!

"Há um céu na alma do homem piedoso" (Borroughs, citado - pág125)

O autor segue adiante, abordando os perigos do espírito murmurador e descontente, o descontentamento piedoso (de se querer buscar cada vez mais a Cristo), o como encontrar contentamento na aflição, o contentamento no anseio pelo céu, entre outros.

É um livro que nos ajuda a enxergar o cuidado de Deus em nossas vidas, apesar das aflições, e ver que é possível nos deleitar em sua graça e descansar nEle! É sentir sua paz e presença independentemente das circunstâncias. É desfrutar e descansar nEle.

Leitura imprescindível, ainda mais nos dias atuais...

Boa leitura!


domingo, 18 de julho de 2021

Pachinko


Min Jin Lee
Ed Intrínseca - 528 páginas

"Sou muito grato por esse trabalho (...) 
O Senhor proverá." (pagina 138)

Comprei esse livro por indicação de duas amigas (achei muita coincidência!) e posso dizer que ele entrou para a lista dos meus preferidos!

Tudo começa na Coreia, início do século XX, numa ilha chamada Yeongdo, com Hoonie, aleijado dos pés, que se casa com Yangjin, graças ao arranjo de uma casamenteira. Sim teve arranjo, afinal nenhuma família decente ia deixar sua filha se casar "com alguém com deformidades, já que essas coisas passavam inevitavelmente para as gerações seguintes." (pág 13). 

Mas Hoonie teve sorte pois a jovem casou com ele e o amou. Tiveram filhos e apenas uma filha sobreviveu, Sunja. Ela nasceu perfeita e era a vida de seu pai! Viviam numa ilha e alugavam quartos para os pescadores locais. A vida era simples e paradisíaca e o destino de Sunja seria se casar e morrer por ali. 

Porém, um dia ela conheceu Hansu em Busan, cidade próxima onde ia fazer compras de mercado, e se encantou pelo homem mais velho, bem vestido e cheio de cuidados, que a acudiu de um incidente com moleques japoneses. Conversaram, passearam na praia e, de repente, ela se viu apaixonada por ele. Tudo podia ser perfeito, mas não foi e a vida de Sunja mudou do dia para noite. Quando ela deu por si, estava casada, no Japão, sem saber falar a língua e tendo de lutar para sobreviver.

Perdas, dores, lutas, nascimentos, mortes, encarceramento, fé. A realidade de Sunja e dos seus entra num verdadeiro redemoinho, numa época de guerra, de falta de comida e sem perspectiva de futuro! 

Mas o futuro chega e com ele, conhecemos a vida dos seus descendentes: filhos e netos. Conhecemos também um pouco do pachinko (salões de jogos), que entrou na vida da família para ser o ganha pão, trazendo consigo desconfiança de alguns e preconceito de outros.

Se eu contar mais (e dá vontade!), vou entregar muito spoiler, o que abomino! Só dou o gostinho das primeiras páginas para incentivar a leitura dessa obra sensível e encantadora!

Vale a pena a leitura!



segunda-feira, 28 de junho de 2021

Os Testamentos


Margaret Atwood

Ed Rocco - 448 páginas

"Às vezes, ter fé dá uma trabalheira."
(página 255)

Há 3 anos, li O Conto da Aia, antes de assistir à série da Paramount, e fiquei em estado de choque. Mas que absurdo era aquele em Gilead? Como a sociedade se deixou transformar naquilo?

A série tratou com maestria aquele mundo sombrio e foi além do livro, de forma angustiante e cruel.

O fato é que ficaram muitas perguntas em aberto e a própria autora decidiu dar algumas respostas nesse livro, escrito 35 anos depois do primeiro. O tempo cronológico da história, porém, foi de apenas 15 anos entre um e outro.

Uma das questões diz respeito à tia Lydia: como ela se tornou aquela tia temida e respeitada por todos? De onde ela veio, como foi doutrinada?

Além dela, temos mais 2 novas personagens, que vão ajudar a responder mais questões: a testemunha 369A, Agnes, filha de Tabitha e Comandante Kyle e a testemunha 369B, Daisy, uma jovem de 16 anos que se vê com uma missão difícil e complicada para sua idade.

A vida dessas 3 se entrelaçam e, num determinado momento, será crucial para o destino de Gilead e de todos os seus habitantes.

Não dá para falar mais sem dar spoiler, então se você é fã do livro ou da série, corre lá para ler!

Boa leitura!


segunda-feira, 1 de março de 2021

Santidade


Ed René Kivitz
Editora Mundo Cristão - 160 páginas

"A santidade é, assim, a experiência natural de quem se relaciona com Deus. Ser com Deus significa ser santo. A igreja é descrita na Bíblia como "nação santa
(página 12)

A Bíblia diz que devemos ser santos, mas dependendo do que você entende por santidade, vai pegar sua mochilinha, dizer como Paulo "miserável homem que sou" e seguir adiante, cabisbaixo porque se sente incapaz disso.

Nesse livro, o pastor nos mostra as diversas facetas da santidade e o que significa "ser santo", segundo as Escrituras.

Pra começar, ele fala que a Torá sugere a santidade como experiência de "outramento" (...) A informação de que Deus é santo, puro e separado implica dizer que ele é Outro (pág 16), ou seja, ele é singular e incomparável. Não há outro.

Ele é perfeito e a "perfeição divina é uma relação: abençoar bons e maus, justos e injustos" (pág 28). Deus, sendo perfeito, ama os imperfeitos, como nós!

Toda experiência com Deus tem 3 momentos: 1) de alumbramento/arrebatamento; 2) de encolhimento e 3) de redefinição de estilo de vida.

"A vida de Paulo se explica por uma profunda experiência com o amor de Cristo (...) o amor de Cristo e o amor a Cristo eram na verdade o fundamento da sua própria existência." (pag 64)

"Ser de Jesus é viver para, com e em Jesus" (pág 65)

"A santidade é um tipo de coração. A santidade é uma postura diante de Deus. A santidade diz respeito ao coração quebrantado, que Deus jamais despreza." (pág 89)

"Viver em santidade implica em adorar somente a Deus e a ele prestar culto. Adorar é uma expressão do coração..." (pág 93)

Interessante que ele fala sobre o prazer que existe em adorar a Deus. O mundo quer te fazer pensar o contrário, mas na verdade só te oferece água de chuva empoçada no lugar da água da vida, conforme Jeremias já tinha dito (Jer 2:12-13).

'A santidade é um prazer em outra dimensão. O prazer da fonte da água da vida." (pág 108)

"Praticar a justiça é viver corretamente diante de Deus" (pág 136).

Enfim, santidade é "uma resposta ao tanto que experimentamos do amor que Cristo tem por nós" (pág 69)

Vale a pena a leitura!



domingo, 28 de fevereiro de 2021

Noites em claro


Edu Liguori
Kotter Editorial - 160 páginas

"Cansado de contar estrelas no céu
de vez em quando a solidão
me visita

Senta-se ao meu lado
e fica em silêncio
até eu adormecer"
 
(página 86)

Acompanho os tuites do Edu há algum tempo e seu jeito de escrever poesia cativa qualquer um, pois a escrita nasce das entranhas, da dor, da insônia, do amor que é/foi bom demais. 

Sua inspiração nem sempre nasce das flores:

A poesia que brota em mim
é muitas vezes água fresca
outras poucas fel
(pág 20)

Ela brota da saudade, da nostalgia, do suspiro, da tempestade interna, da calmaria da alma, da pausa que se tornou eterna, da fusão de passado e futuro num presente arrebatador.

Todo amor vem com o tempo
não cai com o vento
é suave torpor
(pág 35)

Todo amor
deve ser calmo
santo salmo
hino de louvor
(pág 36)

Ser poeta é se desnudar para o outro em cada palavra, verso ou rima. É jogar luz na sua vulnerabilidade e mostrar que ninguém está só quando se fala de coisas do coração:

Não é fácil ser ridículo
ser poeta
ser uma verdade
uma carta de amor não lida
(pág 98)

Enfim, a leitura de seus textos são para aqueles apaixonados pela sensibilidade humana, pela beleza da vida nos seus diversos espectros.

Boa leitura!


p.s. o livro pode ser adquirido na Amazon ou na Editora (kotter.com.br).